7 Coisas que os produtos originais deveriam aprender com os produtos piratas.

Produtos piratas são inseguros, mas passam importantes lições.
Saudações pessoal!

Bom, todos nós sabemos que produtos piratas NÃO são legais. Eles têm qualidade inferior, não duram tanto quanto os originais e não são seguros, quase sempre eles podem provocar problemas sérios se associados à prática de esportes, por exemplo. No entanto, tão real quanto estes elementos mencionados, é o fato de que os produtos piratas são populares entre a maioria das pessoas, especialmente pelo sentimento de ter comprado um produto muito bom, enquanto a maioria dos simples mortais comprou um original caro, "tolos!" Todavia, quando se analisa a questão mais a fundo, percebemos que parte da guerra entre produtos piratas e originais, percebe-se também que os produtos originais têm culpa no cartório também. Vamos mostrar 7 coisas que os produtos originais (e seus fabricantes, claro), podem copiar dos inimigos piratas pra conquistar mais público e satisfazer mais clientes.

#1 Sejam funcionais.

Vocês lembram dos celulares xing-ling? Eles tinham uma qualidade de áudio absurdamente ruim, a tela então, nem se fala. Eles constantemente falhavam, e na maioria das vezes, o único atributo legal era a tela que eram enormes para a época, porém, alguns tinham dois, três chips! E isso já era o suficiente para fazer a coisa acontecer. Se os produtos originais não tivessem demorado tanto tempo assim para desenvolver essa tecnologia e adequá-la aos produtos originais, as vendas seriam muito maior.

#2 Invistam em design, mas não aumentem o preço.

Qualquer novo detalhe no visual, na maioria das vezes, significa um implemento muito grande no preço final ao consumidor. Os produtos piratas na maioria das vezes, incorporam modificações no visual de forma que acabam importando em um público-alvo mais distinto. Vocês lembram quando surgiram as primeiras capas coloridas para Iphone? Antes vistas como coisas cafonas, hoje uma tendência e um demonstrativo do estilo, especialmente para as pessoas mais jovens.

#3 Democratizem.

Não é chato quando você paga quase 4 mil reais no Iphone 6, e em seguida eles lançam o 6 Plus, com pelo menos 1.000 reais de diferença? Pior que isso, você não se sente frustrado quando compra o Plus e eles lançam uma terceira versão? Eu nem me animei a comprar porque eu já sei que em setembro tem Iphone 7. Bom, a lição aqui é que se a coisa tiver qualidade, e for acessível, as pessoas vão comprar, independente do ano de lançamento. Até hoje o Iphone 5S no Brasil possui um público fiel, que fez com que a edição ainda não fosse descontinuada, e, ao contrário, simplesmente seja um dos "iphos" mais vendidos no Brasil.

#4 Flexibilizem.

De que adianta ter uma qualidade superior, mas só vender nas principais lojas da marca? Claro, ter lojas e ter um nome e um local associado é essencial, mas se a ideia é vender, quanto mais elementos que possam apontar para o produto em questão, melhor. Os produtos piratas se encontram em qualquer esquina, e este é o diferencial em relação aos produtos originais. Se houvesse uma maior flexibilização nas políticas de venda, com certeza mais pessoas consumiriam produtos originais, e os piratas iam perder espaço no fim do processo.

#5 Não se tornem obsoletos.

Se tem uma coisa que pega mais quando você consegue comprar o item original, é o fato de que este é um prazer momentâneo. Não tarda e as novas versões simplesmente são descontinuadas, e quem tem as versões mais antigas fica a ver navios com a compra de acessórios e de outras coisinhas mais importantes. Entretanto, quando se pensa nos artigos piratas, quase todos têm uma duração praticamente ilimitada no mercado, e a variedade de possibilidades de revisão dos problemas que surgem (consertos, melhorias, etc.) são já uma realidade plausível. Ninguém gosta de descartar aqueles gadgets originais, nem tem motivo para tal.

#6 Invistam em acessórios.

Tem acessórios que são bem pensados. Tipo um fone de ouvido, uma capina e tal. Mas os produtos originais são de uma quadradeza de dar aflição quando o assunto é acessório. Neste caso, os produtos piratas conseguem se superar: é acessório de toda natureza que se pense. Se os produtos originais tivessem o insight de vir acompanhados (ou de se disponibilizar) acessórios úteis, muita gente não recorreria aos produtos piratas.

#7 Sejam realistas.

Não adianta muita coisa uma interface futurista, um design inovador que não se adaptam às necessidades e à realidade dos consumidores. Atualmente, os símbolos de status não podem mais se dar o luxo de ser alienados, e a maioria que faz sucesso consegue compreender a necessidade dos consumidores e admiti-las em um conceito funcional. Os produtos piratas às vezes conseguem reunir (ou tentar) as coisas boas dos produtos originais, mais as necessidades que são enfrentadas pelos consumidores. Os celulares dualchip que o digam.

Concluindo...

Os produtos originais são maravilhosos, e duram além de trazer qualidade e status a quem os possui. Mas as exigências do mercado brasileiro, associadas às necessidades dos consumidores do nosso país não permitem mais que os produtos possam encerrar-se em suas próprias jaulas conceituais. Em muitos casos, os produtos piratas encantam por causa do preço, porém, em muitos outros casos, o problema está é na adaptação que estes têm em relação à realidade do consumidor médio no país. Boas ideias, nestes tempos de crise, têm que vir acompanhadas de bons preços, disponibilidades, entre outras coisas. Compre produtos originais, mas tenha em mente que os produtos similares, ou piratas, mesmo, têm também muitas mensagens a ser passadas para os fabricantes das marcas famosas.

BÔNUS

Não é apenas sobre pirataria. Mas é sobre crimes, e você pode também pegar estas dicas importantes no vídeo-tutorial sobre como denunciar um site racista, e aproveitar pra fazer uma denúncia anônima sobre qualquer crime. Só fica ligado no passo a passo pra poder desenvolver uma denúncia eficiente.


Até o próximo post!

@Blog_192001 @Mrsilvioh

INSTAGRAM FEED

@ricardandrade2008