ENEM 2013 ou o que eu não aprendi na escola (Dia I)


O Brasil e o Facebook  está em polvorosa com o ENEM deste ano. Como era de se esperar, uma prova muito grande. 90 questões e todas com textos individuais. Uma verdadeira orgia intelectual. O que tiramos da prova?

Mais uma vez, os alunos da escola pública têm dificuldades. A verdade é que caíram matérias esse ano que a escola pública raramente aborda. Por quê? Tempo. Quem estudou em casa ou quem procurou um cursinho se deu bem em partes, porque:

A) História - todos os assuntos possíveis e imagináveis passaram pela cabeça de professores e alunos. Quem viu a teoria marxista se deu bem.

B) Geografia - duas questões muito fáceis, mas a questão sobre os conflitos indígenas confunde um pouco. Nada de assustar.

C) Biologia - genética pura (surpresa nenhuma), mas, pra alegria geral da nação, ótimas questões de ecologia, pra deixar todo mundo mais tranquilo.

D) Física e Química - feijão com arroz. O de sempre: energia, velocidade média, ligações químicas, reações simples. Bom, né?

E) Professores de Filosofia lavaram a alma. Teve de tudo: Kant, Descartes, Hobbes, todo mundo junto e misturado em questões tão ambíguas quanto suas relações com as perguntas em questão.

F) Um drop da prova de Português, que é só amanha. Interpretação de textos com características muito semelhantes às que encontraremos amanhã. Quem se deu bem, sairá contente da prova.

@Blog_192001 @Mrsilvioh

INSTAGRAM FEED

@ricardandrade2008