Férias do Malassombro


Enquanto nesse carnaval tá todo mundo doido pra cair na folia, eu a exemplo de muitos usuários do Facebook, decidi me ausentar dos festejos de Baco.  Vale salientar que, ao menos em tese, eu estaria de férias, o que não acontece na plenitude da acepção por causa da minha preparação pro CFO da Polícia Militar da Bahia (isso aí, vou ser tenente). Bom, sem férias plenas e sem o menor ânimo pro carnaval, decidi então, introspectar-me no mundo do sobrenatural e do inexplicável. Por isso, comecei no Facebook, junto com meu primo medroso, Lairton Andrade, a sequência de férias do malassombro!

Convido meus diletos leitores a acompanhar comigo alguns episódios sobre coisas de arrepiar. São casos de fantasmas, crimes inexplicáveis e acidentes trágicos ocorridos no Brasil e no Mundo. As férias do malassombro começam com o caso do Edifício Joelma, que, na década de 1970, causou dezenas de mortes. O local até hoje é considerado mal assombrado por conta dos eventos trágicos que marcaram aquele edificio.


Com a assinatura da Rede Globo, no documentário menos sensacionalista que vi, dentre os que pesquisei, o caso é contado a partir da história pregressa do local, com direito a uma viagem no tempo até o início do século, quando uma família com problemas habitava o local onde hoje é o malfadado prédio. Sustinhos mil quando o Chico Xavier conta a versão de uma das vítimas sobre o acidente. Como não se impressionar?

Dois técnicos de televisão viajam ao Rio de Janeiro com o pretexto de comprar peças e um carro. Dias depois são encontrados mortos, com  um bilhete e duas impressionantes máscaras de chumbo. O seu envolvimento com espiritismo e - pasmem! - ufologia acabou levando à suspeita de que se tratava de uma tentativa mal sucedida de obter contato com os habitantes de Marte (quem rir vai pro inferno!).



Miguel e Manoel foram das páginas policiais ao noticiário ufológico por causa das misteriosas máscaras de chumbo encontradas com eles, mais umas instruções misteriosas. O caso nunca foi esclarecido e pior: quando exigiu-se a sua reabertura, ao que se dá com diversos casos de supostos homicídios, descobriu-se que os autos haviam simplesmente virado poeira. O caso até hoje causa revolta entre os parentes das vítimas e deixa aquela pulguinha atrás da orelha em quem não é cético e tá sempre à procura de algo do outro mundo.

Mais light e em três partes, a história do Castelinho da rua APA, em São Paulo, nos leva a conhecer um castelo que fora construído por um engenheiro, nos anos de 1910.  Supostamente motivada pelos custos excessivos da obra, que teria onerado a família, todos os envolvidos - mãe e dois irmãos - a tragédia se abate sobre a família e todos morrem em uma cena típica de crime, quando um dos irmãos é acusado (e condenado) pelo duplo homicídio. Detalhe: ele havia morrido também. E na mesma ocasião que os demais. O caso até hoje é um enigma jurídico permeado por falhas e incoerências processuais.







O vídeo é também um apelo para que o poder público intervenha e o tal castelo não seja demolido. Uma das propostas no sentido de manter a construção de pé pretende que ele seja transformado na sede do seu "Clube de Mães o Brasil", uma entidade beneficente que cuida de pessoas moradoras de rua, fornecendo diversos tipos de amparo social, especialmente por meio do fornecimento de cursos profissionalizantes. Maria Eulina, a mentora da entidade, é uma ex moradora de rua. Lindo e poético, o Castelinho do merece lugar nas férias do malassombro!

Por fim - mas não em definitivo - vi um filme sobre o Horror em Amytville. Uma casa nos Estados Unidos, em que supostamente um demônio teria possuído um rapaz, levando-o ao homicídio qualificado de toda a sua família. Anos mais tarde, Terror em Amytiville II conta a história de um casal que compra a tal residência e novamente é atormentado pelos fenômenos paranormais que lá acontecem. A casa ainda existe e ainda hoje é bastante visitada, apesar de seus moradores atuais afirmarem que tudo corre na mais tranquila paz naquela residência desde a sua chegada. Crer ou não crer? Eis a questão.



DROPS ESTIMULANTES

* Sobre terror e possessão, vale conhecer a série do canal pago SCyFy, Ghost Hunters (Caçadores de Fantasmas, em português), consulte seu agente de TV por assinatura.
* Não vá a um centro espírita se não há interesse sério. Há muita diferença entre espiritismo e caçar fantasmas. Geralmente as coisas não dão muito certo quando se procura assim.
* Pra saber mais o que é o CFO e conhecer um pouco mais dos que foram aprovados (segurança púbica e um lance sério!), se liga no blog do Jordão Vieira, um dos candidatos a aspirante, que manda super bem no universo online!
*Curta a nossa página no Facebook!

INSTAGRAM FEED

@ricardandrade2008