Por que você?


Às vezes tendemos a não conhecer a nós mesmos. Somos incoerentes e por vezes intransigentes com amigos, colegas, irmãos. Não conhecemos os limites aos nossos sentimentos egoísticos e, cedo ou tarde, pagamos pelos nossos erros. A vida é cíclica e o mundo até pode ignorar os seus erros para com você, mas, para que haja a harmonia necessária aos demais mecanismos de que dependemos para viver, é certo que não vai ignorar o que se faz aos outros.
A vida geralmente não pune. Não pense por tal via de raciocínio. Ela apenas retribui em paga aquilo que desejamos aos demais. Dê-lhes coisas boas e receba dádivas. Nada mais certo do que o dito popular: “quem semeia ventos, colhe tempestade”. E estas, meus leitores, tendem a deixar estragos análogos aos que deixam também os reais estragos de uma tempestade natural.
Felizmente a nossa colheita nunca acaba. E se não foram bons os resultados desta estação, é provável que a próxima poderá ser melhor. Resumindo, nosso crescimento não para nunca. Pensamos de um jeito hoje, mas esse pensamento é resultado de um momento apenas. Amanha pode nos trazer nos novos ventos, novos pensamentos, novas atitudes. Precisamos apenas abrir as janelas a estes novos ventos para que entrem e nos façam sentir novamente em nossas mentes, a força para o novo momento.
As coisas que nos acontecem, quando da fatalidade ou da causalidade, nos servem de incentivo para pensarmos o caminho que seguimos. Muitas vezes, na ânsia de chegar a um determinado lugar que, não raro, nos é imposto, não exultamos em,feito cavalos de batalha, sair derrubando a tudo e a todos, para que se faça a nossa vontade, satisfaçam os nossos desejos e, em fim, consigamos o que almejamos. Mas nem tudo é desejo, há coisas que são doação, há aquelas que são reflexão, coisas boas e coisas ruins,em fim, há coisas que por mais profundas, mais medonhas, mais degradantes que sejam, também são parte de uma biografia vencedora.
Somos tendenciosos a achar que o fundo do poço é sempre o fim da linha. E que esta é o término de uma vida, quando, na verdade, pode ser apenas o recomeço. Na nossa trajetória de vida, quantas vezes iremos até lá? Não se sabe, mas é certo que pode acontecer. Se levarmos o nosso pensamento ao conjunto dos quepensam que somente vitoriosos conseguem ter uma vida de vitórias, pensaremos também que toda derrota é um ponto final. E o que restaria dos demais humanos se, na primeira queda, esquecêssemos todo o que já foi construído? Às vezes a própria pedra teve seus momentos de força para estar ali e a nossa desventura, quase sempre, é o resultado de uma aventura anterior. Podemos resgatar o nosso pensamento e ver que, na vida, quanto mais nos martirizamos pelo que não conseguimos, menos conseguimos.
E as coisas seguem assim desde que o mundo é mundo. Desistir às vezes é a maior prova de coragem.  E chorar não é vergonha se de vergonha não for o choro. Esquecer as coisas ruins não é fácil. Aliás, certo dito da internet afirma que perdoar não é esquecer, é lembrar sem doer. Perdão às vezes é a parte mais complicada das nossas vidas. Errar é fácil, restituir o prejuízo do erro muitas vezes nos consome muito tempo e só o preparo diário nos permite ver, prevenir e resolver problemas relacionados ao nosso egoísmo natural. Somos seres humanos imperfeitos, com tendências ainda mais imperfeitas. É o nosso fardo, mas não precisa ser a nossa sentença.
Um momento por vez, um defeito por vez e chegamos ao fim sempre mais fortalecidos. A incoerência do pensamento, somente nos leva ao desespero. Quando tiver uma dúvida, espere o momento passar. Preveja a importância daquilo na sua vida e se não for em nada acrescentar, amigo, amiga, apague da memória. Quando pensamos demais em algo tendemos a ignorar os detalhes que às vezes revelam o que se esconde sob o véu da ansiedade.
Por fim, não esqueça que quando as coisas parecerem ruins, é porque muito provavelmente elas estão. Mas se você está passando por isso, é porque é capaz de superar qualquer coisa. Sozinho ou com amigos, a vida é aquilo que fazemos dela. Ao invés de se preocupar com a culpa, com o medo, melhor é seguir adiante e se não conseguir agora, pare um pouco e pense numa outra estratégia. Quando as respostas desaparecem da sua mente, seu melhor conselheiro é o travesseiro.
Silvio

Queen - Hard Life

INSTAGRAM FEED

@ricardandrade2008