Eu amo as pessoas - apesar das pessoas!



Eu...

Eu sou humano, apesar de humano ser ainda a acondição mais ofensiva ao gênero. Porque humano é um sentimento que nem todos têm abertura ou ainda sensibilidade para sê-lo. Eu sou humano e me apego a esse sentimento como se não me restasse outra coisa pra ser (poderia ser qualquer outro papel social que possuo, filho, estudante, amigo, irmão....) mas ser humano me persegue.

Ainda que doloroso seja ser abandonado, ignorado, ou mesmo que ainda menos valorizado, me apresento como Homem, não como sexo, nem como gênero, mas como espécie e espírito. Acordo de manhã e me pego pensando por que esse mal me persegue. Vivo num mundo de homens, mas não de humanos. E mesmo que o desejo suplante a convenção, ser humano ainda é prejudicial, ainda é triste e - pior - é ser fraco.

Passei muito tempo da minha vida pensando no que eu seria quando crescesse e, descubro extasiado, apesar de estudar pra ser um homem a mais no mundo, o sentido de humanidade ainda permanece agudo em mim, como um defeito, não como qualidade. Homem, homem, homem.... Tantos sentidos, tão poucos adeptos!

INSTAGRAM FEED

@ricardandrade2008